domingo, 15 de agosto de 2010

"Simples de coração"

Uma das sensações que me acompanham nos meus quase trinta anos é que levamos cinco dias esperando pelo sexto e sétimo e quando eles chegam... vrummm, já passaram!
Outra coisa que tb aprendi foi aproveitar com força todos os momentos, com foooooooooooorça mesmo, pq até se for ruim eles vão deixar marcas. Entonces, nada melhor do que ter amigo(a)s para ir à forra 100%. Esse post é em homenagem às minhas poucas, mas leais amizades... com elas eu sou bem mais humana.



Bom, mas o fato é que se pudermos juntar amizades + boa comida/bebida, fechou! E esse findi foi muuito legal por isso. Comer uma barca jumbo com 66 peças (vale dizer que ñ fiz feio, comi feito gente grande) de comidinha crua em companhia de uma breja gelada e das minhas grandes amigas, não teve preço, não mesmo (ou melhor, até teve, mas isso a gente dá um jeito).

Celebração da amizade/1 (Eduardo Galeano - o livro dos abraços)

Nos subúrbios de Havana, chamam o amigo de minha terra ou meu sangue.
Em Caracas, o amigo é minha pada ou minha chave: pada, por causa de padaria, a fonte do bom pão para as fomes da alma; e chave por causa de ...
- Chave, por causa de chave - me conta Mario Benedetti.
E me conta que quando morava em Buenos Aires, nos tempos do horror, ele usava cinco chaves alheias em seu chaveiro: cinco chaves, de cinco casas, de cinco amigos: as chaves que o salvaram.

3 comentários:

  1. acho que agora eu consigo postar.

    ResponderExcluir
  2. a gente devia ser ressarcido pelo MasterCard toda vez que usasse essa maldita frase, que cabe tão bem em tantas situações da vida... rsrs.. um brinde às amizades, que elas sejam eternas!

    ResponderExcluir
  3. "um brinde às amizades, que elas sejam eternas!" IUUUP....pena q passou rapidon...a-d-o-r-e-i ^^

    ResponderExcluir