Pular para o conteúdo principal

No vosso e em meu coração

Madrugada, silêncio, solidão... dor física
Vontade de colo, fuga da concentração, 
sob este cenário, a escolha de uma película: Terra e liberdade.
Após quase duas horas de filme não dava para simplesmente fechar os olhos.
Deixo aqui a indicação aos que, como eu, incomodam por se incomodar.
Também uma singela homenagem aos que lutaram e morreram por uma sociedade justa e possível (A propósito do tema, ver compêndio de belas fotos)



Espanha no coração 
No coração de Neruda, 
No vosso e em meu coração. 
Espanha da liberdade, 
Não a Espanha da opressão 
...A Espanha de Franco, não! 
Espanha republicana, 
Noiva da revolução!
Espanha atual de Picasso, 
De Casals, de Lorca 
Irmão assassinado em Granada! 
Espanha no coração.
(Manuel Bandeira)

Guernica,  pintura de Picasso em homenagem à memória da Guerra Civil Espanhola




"Eles são muitos mas nós sempre seremos mais"...

Comentários

  1. ''Madrugada, silêncio, solidão... dor física
    Vontade de colo, fuga da concentração(...)''

    Bem vinda ao clube!Mas como diz a música...
    '' Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia tudo passa,tudo sempre passará (...)
    Tudo que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo tudo muda o tempo todo...no mundo''
    ...and everything will be fine!
    Beijos.
    //Jéssyca Vieira

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Memória, a paga do tempo

- Eu rasgaria o tempo assim pudesse!
- O tempo não, a lembrança dos que dele lembram.

(...)

Vejo uma rua.
Sessenta e quatro ladrilhos a me apontar que o esgoto ainda fede.

(...)

Baco treme em risos e avisa a Zeus que a composição desta estória está vermelha de seus melhores vinhos.

(...)

Direcionam ao meu front canalhices de toda ordem. E até me fazem crer que a minha história anda atordoada, esquizofrênica.

(...)

E lhes respondo: Sim. Na minha esquizofrenia, ouço vozes de um passado expurgado com sangue, silêncio e dor.

(...)

E a minha história, meu caro, agora acende um cigarro, respira fundo e espera as cortinas se abrirem para o espetáculo recomeçar!



ID essência

Água. Chaleira. Café.
Ebulição.  Camomila. Água. Chá. Transição. Sampa. Sopro. Pulmão. Poluição. Catavento. Ar. Criança. Distração. Corpo.Velhice. Morte. Evaporação. Casa. Imagem. Memória. Talhação. Caderno. Palavras. Tempo. Deglutição. Pés. Mar. Felicidade. Coração.


Quando chuva

Quando chuva eu era criança. A gente saía da escola correndo e chegava em casa parecendo pintinhos.
A mãe nos dizia, tira essa roupa molhada que é pra não adoecer!
Quando chuva a gente obedecia melhor a mãe porque tudo ficava mais lento e dava até vontade de obedecer. Aquele friozinho esquentava ainda mais o coração.
Quando chuva ela gritava da cozinha, venham comer, a comida tá na mesa!
Mas, quando chuva, a luz também ficava preguiçosa e ia embora. Era quando a mãe enchia a casa de velas e tudo ficava melhor. Os trovões davam medo, mas a mãe tava lá e nada podia nos acontecer.
O telhado mostrava sua gastidão. Aquele monte de buraco fazia a casa ficar toda ornamentada. Era um tal de balde aqui, bacia ali...
Quando chuva até o almoço ficava mais gostoso. Aquele cheirinho de terra molhada acariciava a pouca carne da penela. Mas não tinha problema, no fundo no fundo, a gente queria mesmo era o momento.
Éramos nós três. Eu, o irmão menor e a mãe.
Quando chuva depois do almoço a gente dor…