quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Para os casos de porosidade, escorregue



o vento
vadio e inebriante
que soa, 
ecoa
aturde
bate à porta
que torta
rebate 

faz pensamento               cimento 

                              e dele, parte                 





4 comentários:

  1. Poema lindo!


    E a disposição do texto...bem criativo, lembra vento...ventania...enfim..algo sendo levado


    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. retifico: amei, "bastantemente'. :D

    ResponderExcluir