quinta-feira, 17 de março de 2011

Estupraram a educação e chamaram-na de expansão!

Primeiro me dizem que expandir é igual a fazer crescer, a dar oportunidades, a incluir. Tudo bem, até que a ideia parece boa. Afinal, quem não quer sair da tônica do apenas saber ler/escrever pra entrar no mundo dos dotôr?!

Agora me chegam com um tal de Reuni. Programinha mais esperto esse. Faz a gente acreditar que enfiando mais gente numa sala e dando mais trabalho pro professor vai deixar o povo mais sabido. Sabideza besta essa...

A educação dos rico continua uma lindeza.  Os fio dos homi de terno não precisam disso não. Tem carro, casa grande e universidade nos esteite de montão. Faz viagem o ano todo, estuda num tar de cursinprevestibular e passa em qualquer lugar.

Já a gente, os de baixo, cá embaixo mesmo precisamos nos enfiar nas escolas de faz conta. Os professor faz de conta que ensina e nós que aprende. E isso dura é muito. Dura o suficiente pra gente acordar num dia e perceber que chegou a hora da inscrição no vestibular e que ainda falta é tanto pra gente ficar sabido pra concorrer com esses tar.

Mas aí vem o governo e diz pra gente que nossa hora chegou. Que agora tem um tal de ProUni, que deixa a gente estudar nas universidades pagas; Um tal de Reuni, que vai dar muita vaga mesmo pra quem quer estudar. E como se não bastasse, ainda podemos estudar em casa. Numa tal de educação a distância. É os professor lá e nós aqui. Isso é que é tecnologia!

E tem mais. Tá pensando que é só isso? né não. Esse tal governo também quer colocar mais gente nas escolas técnicas. Uns tar de instituto tecnológico. O nome é bonito, isso ninguém pode negar. 
Disseram que pro país crescer tem que ser com a ajuda de todo mundo. Acho que é um tal de faz o teu que eu tenho que fazer o meu também.

Mas aí, um dia eu começo a ouvir de uns professor que ensinam nesses lugar que as coisa não tão lá tão boas. Dizem que a moda é arrochar: 
a) mais aulas no professor substituto;
b) com menos contratação de pessoal;
c)com mais cursos começando. Mas sem biblioteca, laboratório e até mesmo lugar pra chamar de universidade.
d) no aluno, que vai estudar e não tem professor; comida pra dar sustança; transporte decente... Isso pra começar...

Acho mesmo que esse negógio é faz de conta dos grande. Outro dia cheguei em casa e liguei a TV. Tava a dona presidente falando que ia precisar suspender nomeação, ia cortar as verba da educação. Mas que a gente não ficasse triste, porque ela ia manter a política de expansão.






4 comentários:

  1. Talvez um e) "Arrochar um monte de coisas" que não funcionam...

    Esse "faz o teu que eu tenho que fazer o meu também" pode parecer muito bonito, responsável, solidário, comprometido com todos os cidadãos... Mas essa "cooperação" não me parece tão inocente assim... Se voltarmos um pouquinho no tempo, veremos que o governo militar quis "alfabetizar" o povo utilizando-se de um argumento parecido ao criar o Mobral.

    Mas deve estar tudo bem. Afinal, nossa presidente, representação forte das mulheres desse país (sic), disse lá naquela revista que o Brasil é "capaz de escolher seu rumo e de construir seu futuro com o esforço e o talento de todos os seus cidadãos". Deve estar tudo bem. O desenvolvimento chegando, PIB aumentando, educação expandindo, mulher brasileira protegida (onde?!), Ministério da Cultura abrindo horizontes (p'ra arrecadação do ECAD, deixa quieto), Obama gentilmente deixando sua contribuição (p'ra o Pré-Sal, ocupação no Haiti, etc,etc) lá de cima com sua ilustre visita...

    Então, excelente texto. Se falei alguma besteira, pode puxar minha orelha...

    ResponderExcluir
  2. falou certinho, minha cara! é isso mesmo. matou a tia de orgulho.
    que bom que gostou do texto, ele materializa algumas angústias dos últimos dias.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. E olhe q são apenas 3 meses de governo! Imagina os proximos 3 anos...kda um q entre no governo q deixe a metralhadora engatada só esperando o disparo! E os alvos?!...um deles é a educação!


    Mais uma vez, pra variae só um pouquinho, um post e tanto sobre essa realidade!

    bjin

    ResponderExcluir