domingo, 4 de março de 2012

Cadência sim. Decadência, jamais!

Ó, meu amor, a ti devoto todo meu querer
No riso, na dor, no labor e, ainda mais, no amor
É nos teus braços que desejo me entregar
Num bailado quebrado, atrapalhado e nada ensaiado desejo rodar
Por esse salão tão meu, tão seu 
Que faz da minha vida mais vida 
E que leva junto conosco todos aqueles sorrateiros 
Que, ao menos por uma noite, se deixam levar


A mediocridade nos deixou, por pura birra. 
Teimando em ser burra por não gostar de sambar
E pra ela respondemos: 
- Vá ser burra sozinha, porque queremos mesmo é sambar!

3 comentários:

  1. Olha, me diz uma coisa. Vai musicar quando? Me avisa quando lançar o CD. Ficou bom. Samba, né? abs.

    ResponderExcluir
  2. a música é minha. não abro mão dessa parceria. na vida e no samba. tá mt bonito, mô. zeca

    ResponderExcluir
  3. txaaaaaaaaaaaaaaaaaa....até deu pra sentir a melodia!

    ResponderExcluir