sábado, 16 de janeiro de 2016

Extrema(zia)

Andei parada na inobservância dos tempos
Não quis entrar
Perdi-me nos aléns das brechas Asiáticas
O alento escuro esfriou a tinta
Não quis entrar
Poesia perdera-se no meu sertão molhado
Havia incômodo naquelas transparentes páginas impressas
Não quis entrar
Consultei astros de toda ordem... ah, aquela linha! era minha...
Só depois descobrira!
(...)
Rasguei meu veto
Lambi letras em regras tortas
E quis entrar